Fim do Mês #1 | Novembro, intenso!

Follow my blog with Bloglovin
fim-do-mes-novembro-2018-01

Novembro foi um mês tão intenso, que senti necessidade de falar sobre ele. Esta necessidade fez com que isto virasse uma tendência mensal, também inspirada na rubrica Três para o Mês, da Rita da Nova (que aliás, devem todos ir ler!).

Fazendo as devidas adaptações, decidi que esta rubrica de balanço, era não só importante para mim, para me permitir ter este espaço de parar e olhar com crueza para o que foram os últimos 30 dias, mas também para me permitir guardar para a prosperidade estas lembranças, como um diário que nunca se destrói. Achei que profissionalmente, também podia ser uma mais valia para quem me lê e partilha este objetivo comum da fotografia, através da partilha do crescimento do meu negócio, as diferenças que ocorrem de mês para mês, as dúvidas e certezas que vão surgindo com o avanço do tempo.

Então, vamos a isto?

Profissionalmente

Novembro foi sem dúvida o mês mais mexido de sempre, em termos profissionais. Vale relembrar que faz três meses (3! às vezes parece muito tempo e outras, parece que foi ontem) que decidi dedicar-me à fotografia de forma profissional. E se os dois primeiros foram mais leves, com várias “folgas” que me permitiram ter mais tempo para fazer o nada, dedicar-me ao blog ou simplesmente conhecer e definir o meu processo de trabalho, este mês a sensação que tive foi que viajava num comboio a alta velocidade. Isto é muito bom, acreditem. Não só aumentei o número de sessões, como angariei mais clientes, conheci mais pessoas e fechei mais trabalhos. A diferença não foi astronómica no grosso das sessões, nada disso, mas o volume de trabalho aumentou bastante, porque há toda uma série de bastidores que é preciso gerir: construir orçamentos, responder a e-mails, acertar datas, enviar briefings (hei de falar-vos disto), editar fotografias, fechar a agenda do próximo mês, etc, etc.

A parceria com o Blogging For a Cause (que termina hoje), veio aumentar bastante o dinamismo da coisa. Cerca de 5 pessoas, adquiriram o Pack Flash, o que rendeu um valor de 100€ para as causas que o evento apoia. Considero que esta parceria cumpriu todos os seus objetivos e estou muito contente com isso.

O Dividimos a Conta, com a Rita da Nova continua a todo o vapor. Tem sido um desafio muito interessante, não só por me fazer sair da zona de conforto – ao fotografar em ambientes com pouca luz – mas também pela oportunidade de conhecer várias pessoas, com todas as suas características diferentes, com memórias distintas sobre a comida, mas com tantas particularidades em comum entre elas – esta história do consciente coletivo é incrível. Tem sido também maravilhoso desfrutar esta viagem com a Rita – já sabem por aqui, que sou super fã – que é uma comunicadora nata e que vê-la em ação é uma fonte de aprendizagem enorme.

Outra coisa que gostava de partilhar aqui, é algo que ainda não me tinha acontecido: sessões canceladas por motivos de mau tempo. Pois é, sabia que um dia iria chegar, mas é sempre uma situação desconfortável. Por um lado, queremos muito fazer o trabalho, por outro não queremos falhar as expectativas da outra pessoa. É obvio, que quem fotografa no exterior está sempre sujeito a estas condições e faz parte do processo aprender a lidar com isso da melhor forma e passar aos clientes a maior segurança e confiança possível, mesmo quando o “dia D” porque tanto esperaram, tenha de ser adiado. Esperamos que o São Pedro, seja mais amigo das próximas vezes.

fim-do-mes-novembro-2018-02

Pessoalmente

Novembro, novembro. É sempre um mês muito intenso por várias razões, porque faço anos e porque me traz memórias pilar da minha vida. São sempre muitas emoções e este ano não foi exceção.

Não tive um dia de aniversário inesquecível, aliás, acho que foi para o grupo dos “piores dias de aniversário”. Não me quero queixar, mas foi bastante estranho. Toda a semana foi atípica. Primeiramente, tinha decidido tirar essa semana de férias, agendado todos os posts para não ter de o fazer nesses dias, mas o destino trocou-me as voltas. Acabei por trabalhar, mais do que o normal. Aconteceram também algumas situações próximas, relacionadas com a saúde e bem-estar de pessoas amigas, portanto andei meio “coração nas mãos” o tempo inteiro.

A juntar a isto, comecei a ficar doente no meu dia de aniversário. Parecia que me tinha atacado de tal forma uma gripe, que em minutos me atirou à cama. Na realidade não foi bem uma gripe, apesar de alguns dos sintomas estarem lá, mas sei que era algo mais poderoso que isso. Um desequilíbrio. Nas emoções, na harmonia entre a vida profissional e a vida pessoal.

Não sou muito boa a fazer essa gestão. Nos últimos anos, a minha vida profissional tem sido o meu maior foco, esquecendo muitas vezes a importância de nutrir as minhas relações e os meus afetos. Não é que não os tenha, pois sou uma pessoa bastante carente nesse aspeto e que gosta muito de cuidar do outro, mas escolho muitas vezes distanciar-me, esconder-me e guardar essas emoções para mim. E é desta forma, que o meu corpo me avisa quando está em desarmonia.

O cansaço, que senti durante estas quatro semanas, foi gigantesco. Senti-me muitas vezes no meu limite, mas também aprendi coisas com isto: que tenho de me dar mais, de guardar menos para mim e falar com o outro.

Estou desejosa para que dezembro chegue e seja mais gentil comigo. Talvez também eu, devesse ser. ♥

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CommentLuv badge

Segue-me

  • Tenho saudades de levantar voo. Do friozinho na barriga quando sentes aquele ímpeto em direcção ao céu.
Pertenco a todos os lugares onde nunca fui e me esperam. E a todos aqueles onde deixei um pouco de mim.

Para onde vou agora?
// postcard from Geneve, 2015.
  • Não é o #10yearschallenge mas a diferença é de apenas um ano.

Em agosto de 2010, rumei a Cabo Verde com o grupo de escuteiros em que me incluía.
Já nesta altura a máquina fotografica me acompanhava.

Comecei a tomar mais gosto e a desejar ter esta princesa, quando o Rui, meu colega de grupo, começou a levar a dele para os acampamentos e atividades. Os meus olhos brilhavam sempre que pegava na máquina fotográfica dele e desatava a disparar cliques aqui e ali. Ainda sem grande noção do que fazia, sem grande intenção, mas extremamente apaixonada.

Depois de Cabo Verde, andamos por Londres, Barcelona, Antuérpia, Bruxelas, Paris, Genebra e tantas outras cidades do País, sempre juntas.

Tenho a minha 77D há menos de um ano. Fizemos a primeira viagem até Madrid e já só sonho com novas aventuras por aí fora.
Se há coisa que gostava, era de viajar pelo mundo para o fotografar.

Também tens um sonho, daqueles incríveis? 📸 @ruipperes
  • "Gostaria de crer que isto é uma história que estou a contar. Preciso de crê-lo. Tenho de crê-lo. Aquelas que conseguem acreditar que semelhantes histórias são apenas histórias, têm melhores possibilidades.
Se é uma história que estou a contar, então posso controlar o fim. Então haverá um fim, para a história, e a vida real virá depois. Posso retomar o fio onde me interrompi."
.
📚 // ainda não cheguei a meio desta história e ja me embrulhou o estômago várias vezes.
.
Assusta-me pensar que, talvez não tenha sido há tanto tempo assim uma realidade semelhante ou que, a distância futura não me pareça tão descabida.
.
É aterrozizador pensar nisto, mas quando olho o mundo a cru vejo a loucura insana e o desrespeito constante pelo outro.
. 
É uma história perturbadora mas é também um agitador de águas. Que tenhamos a lucidez necessária para reconhecer todos os sinais!
.
➸ para janeiro em #umaduziadelivros: Crónica de Uma Serva, de Margaret Atwood
  • Mais 365 novos dias para fazermos o que nos faz feliz.

Estou a aproveitar esta semana para preparar o ano, que não consegui deixar tudo pontinho antes do final do ano. É mesmo assim, fazer e refazer. 🙈

Estou a aproveitar as dicas que a @filipammaia deixou num dos seus videos do YouTube e a construir - passito a passito 💃 - o planeamento para os próximos 6 meses. Dá tantooooo jeito, mesmo para quem não tem um negócio, é interessante pensar naquelas questões todas ⇛ Ide lá ver 🙌🏼 // Quem reparou que temos um visual diferente por aqui?
É verdade, este refresh vem acompanhar o blog que também tem cara lavada, para ver já amanhã! 🤗

Aos inícios! 🥂
#mpestanaphoto
📷 @anapestana_
#tribejldesign
  • ⟴ DIVERSÃO // Foi esta a palavra que escolhi para me acompanhar no ano de 2019.
Se o ano que passou foi muito dedicado ao trabalho e à descoberta de mim mesma neste aspecto, agora é tempo de relaxar um bocadinho e curtir.

Falta-me isso. Falta-me rir até doer a barriga, fazer coisas meio malucas e aproveitar. Não quero muito, não existem muitas resoluções a não ser, divertir-me. Curtir tudo o que vier. Equilibrar o Yin-yang e priorizar ser feliz, seja lá como for.

Que o vosso ano, seja também repleto de diverso.
💃🎉
#mpestanaphoto
#tribejldesign
  • ⟴ DIVERSÃO // Foi esta a palavra que escolhi para me acompanhar no ano de 2019.
Se o ano que passou foi muito dedicado ao trabalho e à descoberta de mim mesma neste aspecto, agora é tempo de relaxar um bocadinho e curtir.

Falta-me isso. Falta-me rir até doer a barriga, fazer coisas meio malucas e aproveitar. Não quero muito, não existem muitas resoluções a não ser, divertir-me. Curtir tudo o que vier. Equilibrar o Yin-yang e priorizar ser feliz, seja lá como for.

Que o vosso ano, seja também repleto de diverso.
💃🎉
#mpestanaphoto
#tribejldesign