Uma mesa redonda sobre Bloggar e um reflexão pessoal

uma-mesa-redonda-sobre-bloggar-6
Fotografia cedida por Armazém de Ideias Ilimitada

Se há 6 meses atrás me tivessem dito que participaria numa mesa redonda sobre o que me motiva, a mim e a outras pessoas, a ter um blog, certamente não teria imaginado possível.

Comecei este blog em Abril e, muito sinceramente, sempre pensei que não iria durar mais de 2 meses. Já tive vários blogs e todos eles não passaram disso, de um impulso louco que foi muito efémero. Nunca achei que conseguiria manter este compromisso, porque há alguns anos que digo a mim mesma que não sou capaz de levar nada até ao fim, que acabo sempre por desistir do que me proponho. Esta conversa negativa criou, de tal forma, crenças cimentadas que ainda me pasmo com o tempo que já passou desde então.

Foi interessante constatar isso durante a Mesa Redonda em que participei no fim de semana passado, durante o Open Day do Armazém de Ideias Ilimitada. Mais do que isso, foi incrível partilhar com três #grandesbloggers (a Vânia, a Andreia e a Joana) este palco e sentir-me tão lado a lado nesta vivência.

Há seis meses atrás, diria algo como “não é bem um blog, só vou escrevendo lá qualquer coisa”, “não me considero uma blogger” ou “não vivi tempo suficiente disto para sentir legitimidade em me autointitular dessa forma”. Hoje, não sinto nada disto. Sinto que tenho um espaço, conquistado por mim. Que tenho algo a dizer, que pode, através da partilha da minha vivência real e verdadeira, fazer sentido para o outro. Até pode não acontecer, pode não ressoar para ninguém, mas é a minha experiência, foi aquilo que vivi.

Não sinto que tenho que ser melhor que ninguém, mais “blogger” que alguém. Não sinto que tenho nada a provar, e é isso que gostava de passar para quem me lê. Há seis meses, não tinha esta consciência e vivia constantemente em busca desta aprovação.

Há seis meses estaria completamente em pânico, em nervos por falar em público. Mas percebi, que não há que estar nervosa em falar sobre nós, desde que falemos com verdade. Há seis meses eu teria medo de dizer, principalmente aquilo que é menos bom de ter um blog, de admitir que muitas vezes me sinto frustrada na fotografia e que a ansiedade é, muitas vezes uma inimiga que me leva ao limite. Mesmo que, em muitas vezes pareça ter tudo sob controlo.
Teria vergonha de assumir que, por vezes me deixo levar pelo lado negro das redes sociais, que fico obcecada e que todas aquelas vidas perfeitamente incríveis (que sei que é apenas um lado da realidade) me deixam muitas vezes a sentir-me miserável.

Fotografia cedida por ponto28.pt

Escolhi falar a verdade neste blog, mesmo que algumas vezes ponha um filtro por cima delas.

Há certo grau de realidade que deve ser mantido privado, que não acrescenta nada ao outro. É como quando terminamos uma relação e só choramos no escuro do nosso quarto. Não é que não possamos chorar em público – podemos e não há problema nenhum nisso – mas há sentimentos que devemos viver e interpretá-los por nós mesmos, na nossa intimidade. Mas escolhi dizer a verdade, não dourar a pílula e mostrar as coisas como elas são, o bom e o mau.

É só assim que concebo a blogosfera, como partilha real de quem somos. E deixa-me genuinamente contente saber que existem pessoas que sentem e vivem isto como eu, que percebem que há paradigmas que precisam ser mudados, que há estereótipos que precisam ser quebrados. Que existem pessoas que se preocupam em partilhar a verdade, com responsabilidade e respeito por si e pelo outro. E que existem pessoas dispostas a ouvir outros prontos de vista diferentes dos seus, que não julgam mesmo que tenham opiniões diferentes, e que procuram, não só ser melhores pessoas nessa interação, mas também melhorar o lugar onde vivem.

É por isto que vale a pena ter um blog!

♥ | Este post foi escrito na viagem de regresso a casa, depois desta experiência tão enriquecedora. É difícil não sair com a cabeça a fervilhar depois de eventos como estes. Obrigada mais uma vez ao Armazém de Ideias Ilimitada pelo convite tão querido em participar nesta mesa redonda – a minha primeira participação pública enquanto blogger – e por acreditarem em iniciativas que promovam a discussão e a partilha de assuntos que estão tão na ordem do dia.

1 comment

  1. Querida Margarida, muitas vezes é num impulso louco que concretizamos as coisas mais belas das nossas vidas.
    Há 6 meses nunca imaginaríamos que este dia pudesse acontecer. Foi pleno, cheio de pessoas fantásticas, repleto de partilhas verdadeiras.
    Foi neste espaço, onde circulamos, a blogosfera, que te conhecemos e que conhecemos as outras #grandesbloggers, que aceitaram este nosso desafio. Durante muito tempo sentimo-nos sós. Agora, as miúdas, encontraram a sua “tribo”
    És linda!
    Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CommentLuv badge

Segue-me

  • Tenho saudades de levantar voo. Do friozinho na barriga quando sentes aquele ímpeto em direcção ao céu.
Pertenco a todos os lugares onde nunca fui e me esperam. E a todos aqueles onde deixei um pouco de mim.

Para onde vou agora?
// postcard from Geneve, 2015.
  • Não é o #10yearschallenge mas a diferença é de apenas um ano.

Em agosto de 2010, rumei a Cabo Verde com o grupo de escuteiros em que me incluía.
Já nesta altura a máquina fotografica me acompanhava.

Comecei a tomar mais gosto e a desejar ter esta princesa, quando o Rui, meu colega de grupo, começou a levar a dele para os acampamentos e atividades. Os meus olhos brilhavam sempre que pegava na máquina fotográfica dele e desatava a disparar cliques aqui e ali. Ainda sem grande noção do que fazia, sem grande intenção, mas extremamente apaixonada.

Depois de Cabo Verde, andamos por Londres, Barcelona, Antuérpia, Bruxelas, Paris, Genebra e tantas outras cidades do País, sempre juntas.

Tenho a minha 77D há menos de um ano. Fizemos a primeira viagem até Madrid e já só sonho com novas aventuras por aí fora.
Se há coisa que gostava, era de viajar pelo mundo para o fotografar.

Também tens um sonho, daqueles incríveis? 📸 @ruipperes
  • "Gostaria de crer que isto é uma história que estou a contar. Preciso de crê-lo. Tenho de crê-lo. Aquelas que conseguem acreditar que semelhantes histórias são apenas histórias, têm melhores possibilidades.
Se é uma história que estou a contar, então posso controlar o fim. Então haverá um fim, para a história, e a vida real virá depois. Posso retomar o fio onde me interrompi."
.
📚 // ainda não cheguei a meio desta história e ja me embrulhou o estômago várias vezes.
.
Assusta-me pensar que, talvez não tenha sido há tanto tempo assim uma realidade semelhante ou que, a distância futura não me pareça tão descabida.
.
É aterrozizador pensar nisto, mas quando olho o mundo a cru vejo a loucura insana e o desrespeito constante pelo outro.
. 
É uma história perturbadora mas é também um agitador de águas. Que tenhamos a lucidez necessária para reconhecer todos os sinais!
.
➸ para janeiro em #umaduziadelivros: Crónica de Uma Serva, de Margaret Atwood
  • Mais 365 novos dias para fazermos o que nos faz feliz.

Estou a aproveitar esta semana para preparar o ano, que não consegui deixar tudo pontinho antes do final do ano. É mesmo assim, fazer e refazer. 🙈

Estou a aproveitar as dicas que a @filipammaia deixou num dos seus videos do YouTube e a construir - passito a passito 💃 - o planeamento para os próximos 6 meses. Dá tantooooo jeito, mesmo para quem não tem um negócio, é interessante pensar naquelas questões todas ⇛ Ide lá ver 🙌🏼 // Quem reparou que temos um visual diferente por aqui?
É verdade, este refresh vem acompanhar o blog que também tem cara lavada, para ver já amanhã! 🤗

Aos inícios! 🥂
#mpestanaphoto
📷 @anapestana_
#tribejldesign
  • ⟴ DIVERSÃO // Foi esta a palavra que escolhi para me acompanhar no ano de 2019.
Se o ano que passou foi muito dedicado ao trabalho e à descoberta de mim mesma neste aspecto, agora é tempo de relaxar um bocadinho e curtir.

Falta-me isso. Falta-me rir até doer a barriga, fazer coisas meio malucas e aproveitar. Não quero muito, não existem muitas resoluções a não ser, divertir-me. Curtir tudo o que vier. Equilibrar o Yin-yang e priorizar ser feliz, seja lá como for.

Que o vosso ano, seja também repleto de diverso.
💃🎉
#mpestanaphoto
#tribejldesign
  • ⟴ DIVERSÃO // Foi esta a palavra que escolhi para me acompanhar no ano de 2019.
Se o ano que passou foi muito dedicado ao trabalho e à descoberta de mim mesma neste aspecto, agora é tempo de relaxar um bocadinho e curtir.

Falta-me isso. Falta-me rir até doer a barriga, fazer coisas meio malucas e aproveitar. Não quero muito, não existem muitas resoluções a não ser, divertir-me. Curtir tudo o que vier. Equilibrar o Yin-yang e priorizar ser feliz, seja lá como for.

Que o vosso ano, seja também repleto de diverso.
💃🎉
#mpestanaphoto
#tribejldesign